sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

'Aula sobre refrigerantes'

Oi pessoal, bom dia a todos!
Recebí este email e achei bem interessante por isso, resolvi compartilhar com todos.

Bem, o fim do ano está chegando, o momento agora é de refletir nos erros e tentar não repeti-los em 2012.
Forte abraços anabólico a todos e que 2012 seja um ano de muita saúde e uma melhor qualidade de vida!





Na verdade, a fórmula 'secreta' da Coca-Cola se desvenda em 18 segundos em qualquer espectrômetro-ótico, e basicamente até os cachorros a conhecem. Só que não dá para fabricar igual, a não ser que você tenha uns 10 bilhões de dólares para brigar com a Coca-Cola na justiça, porque eles vão cair matando.

A fórmula da Pepsi tem uma diferença básica da Coca-Cola e é proposital exatamente para evitar processo judicial. Não é diferente porque não conseguiram fazer igual não, é de propósito, mas próximo o suficiente para atrair o consumidor da Coca-Cola que quer um gostinho diferente com menos sal e açúcar.

Entre outras coisas, fui eu quem teve que aprender tudo sobre refrigerante gaseificado para produzir o guaraná Golly aqui (nos EUA), que usa o concentrado Brahma. Está no mercado até hoje, mas falhou terrivelmente em estratégia promocional e vende só para o mercado local, tudo isso devido à cabeça dura de alguns diretores.

Tive que aprender química, entender tudo sobre componentes de refrigerantes, conservantes, sais, ácidos, cafeína, enlatamento, produção de label de lata, permissões, aprovações e muito etc. e tal. Montei um mini-laboratório de análise de produto, equipamento até para analisar quantidade de sólidos, etc. Até desenvolvi programas para PC para cálculo da fórmula com base nos volumes e tipo de envasamento (plástico ou alumínio), pois isso muda os valores e o sabor. Tivemos até equipe de competição em stock-car.

Tire a imensa quantidade de sal que a Coca-Cola usa (50mg de sódio na lata) e você verá que a Coca-Cola fica igualzinha a qualquer outro refrigerante sem-vergonha e porcaria, adocicado e enjoado. É exatamente o Cloreto de Sódio em exagero (que eles dizem ser 'very low sodium') que refresca e ao mesmo tempo dá sede em dobro, pedindo outro refrigerante, e não enjoa porque o tal sal mata literalmente a sensibilidade ao doce, que também tem de montão: 39 gramas de 'açúcar' (sacarose).

É ridículo, dos 350 gramas de produto líquido, mais de 10% é açúcar. Imagine numa lata de Coca-Cola, mais de 1 centímetro e meio da lata é açúcar puro... Isso dá aproximadamente umas 3 colheres de sopa CHEIAS DE AÇÚCAR POR LATA!...

- Fórmula da Coca-Cola?...

Simples: Concentrado de Açúcar queimado - Caramelo - para dar cor escura e gosto; ácido ortofosfórico (azedinho); sacarose - açúcar (HFCS - High Fructose Corn Syrup - açúcar líquido da frutose do milho); extrato da folha da planta COCA (África e Índia) e poucos outros aromatizantes naturais de outras plantas, cafeína, e conservante que pode ser Benzoato de Sódio ou Benzoato de Potássio, Dióxido de carbono de montão para fritar a língua quando você a toma e junto com o sal dar a sensação de refrigeração.

O uso de ácido ortofosfórico e não o ácido cítrico como todos os outros usam, é para dar a sensação de dentes e boca limpa ao beber, o fosfórico literalmente frita tudo e em quantidade pode até causar decapamento do esmalte dos dentes, coisa que o cítrico ataca com muito menor violência, pois o artofosfórico 'chupa' todo o cálcio do organismo, podendo causar até osteoporose, sem contar o comprometimento na formação dos ossos e dentes das crianças em idade de formação óssea, dos 2 aos 14 anos. Tente comprar ácido fosfórico para ver as mil recomendações de segurança e manuseio (queima o cristalino do olho, queima a pele, etc.).

Só como informação geral, é proibido usar ácido fosfórico em qualquer outro refrigerante, só a Coca-Cola tem permissão... (claro, se tirar, a Coca-Cola ficará com gosto de sabão).

O extrato da coca e outras folhas quase não mudam nada no sabor, é mais efeito cosmético e mercadológico, assim como o guaraná, você não sente o gosto dele, nem cheiro, (o verdadeiro guaraná tem gosto amargo) ele está lá até porque legalmente tem que estar (questão de registro comercial), mas se tirar você nem nota diferença no gosto.

O gosto é dado basicamente pelas quantidades diferentes de açúcar, açúcar queimado, sais, ácidos e conservantes. Tem uma empresa química aqui em Bartow, sul de Orlando. Já visitei os caras inúmeras vezes e eles basicamente produzem aromatizantes e essências para sucos. Sais concentrados e essências o dia inteiro, caminhão atrás de caminhão! Eles produzem isso para fábricas de sorvete, refrigerantes, sucos, enlatados, até comida colorida e aromatizada.

Visitando a fábrica, pedi para ver o depósito de concentrados das frutas, que deveria ser imenso, cheio de reservatórios imensos de laranja, abacaxi, morango, e tantos outros (comentei). O sujeito olhou para mim, deu uma risadinha e me levou para visitar os depósitos imensos de corantes e mais de 50 tipos de componentes químicos. O refrigerante de laranja, o que menos tem é laranja; morango, até os gominhos que ficam em suspensão são feitos de goma (uma liga química que envolve um semipolímero). Abacaxi é um festival de ácidos e mais goma. Essência para sorvete de Abacate? Usam até peróxido de hidrogênio (água oxigenada) para dar aquela sensação de arrasto espumoso no céu da boca ao comer, típico do abacate.

O segundo refrigerante mais vendido aqui nos Estados Unidos é o Dr. Pepper, o mais antigo de todos, mais antigo que a própria Coca-Cola. Esse refrigerante era vendido obviamente sem refrigeração e sem gaseificação em mil oitocentos e pedrada, em garrafinhas com rolha como medicamento, nas carroças ambulantes que você vê em filmes do velho oeste americano. Além de tirar dor de barriga e unha encravada, também tirava mancha de ferrugem de cortina, além de ajudar a renovar a graxa dos eixos das carroças. Para quem não sabe, Dr. Pepper tem um sabor horrível, e é muito fácil de experimentar em casa: pegue GELOL spray, aquele que você usa quando leva um chute na canela, e dê um bom spray na boca! Esse é o gosto do tal famoso Dr.Pepper que vende muito por aqui.

- Refrigerante DIET

Quer saber a quantidade de lixo que tem em refrigerante diet? Não uso nem para desentupir a pia, porque tenho pena da tubulação de pvc... Olha, só para abrir os olhos dos cegos: os produtos adocicantes diet têm vida muito curta. O aspartame, por exemplo, após 3 semanas de molhado passa a ter gosto de pano velho sujo.

Para evitar isso, soma-se uma infinidade de outros químicos, um para esticar a vida do aspartame, outro para dar buffer (arredondar) o gosto do segundo químico, outro para neutralizar a cor dos dois químicos juntos que deixam o líquido turvo, outro para manter o terceiro químico em suspensão, senão o fundo do refrigerante fica escuro, outro para evitar cristalização do aspartame, outro para realçar, dar 'edge' no ácido cítrico ou fosfórico que acaba sofrendo pela influência dos 4 produtos químicos iniciais, e assim vai... A lista é enorme.

Depois de toda essa minha experiência com produção e estudo de refrigerantes, posso afirmar: Sabe qual é o melhor refrigerante? Água filtrada, de preferência duplamente filtrada, laranja ou limão espremido e gelo... Mais nada !!! Nem açúcar, nem sal.
LER AS CONSEQUÊNCIAS ABAIXO: INTERESSANTE! Quando você acaba de beber um refrigeranteProf. Dr. Carlos Alexandre FettFaculdade de Educação Física da UFMT Mestrado da Nutrição da UFMT Laboratório de Aptidão Física e Metabolismo - 3615 8836 Consultoria em Performance Humana e Estética
**O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ACABA DE BEBER UMA LATA DE REFRIGERANTE**Primeiros 10 minutos:10 colheres de chá de açúcar batem no seu corpo, 100% do recomendado diariamente. Você não vomita imediatamente pelo doce extremo, porque o ácido fosfórico corta o gosto.
20 minutos:O nível de açúcar em seu sangue estoura, forçando um jorro de insulina. O fígado responde transformando todo o açúcar que recebe em gordura (É muito para este momento em particular).
40 minutos:A absorção de cafeína está completa. Suas pupilas dilatam, a pressão sanguínea sobe, o fígado responde bombeando mais açúcar na corrente. Os receptores de adenosina no cérebro são bloqueados para evitar tonteiras.
45 minutos:O corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando os centros de prazer do corpo. (Fisicamente, funciona como com a heroína..)
50 minutos:O ácido fosfórico empurra cálcio, magnésio e zinco para o intestino grosso, aumentando o metabolismo. As altas doses de açúcar e outros adoçantes aumentam a excreção de cálcio na urina, ou seja, está urinando seus ossos, uma das causas das OSTEOPOROSE.
60 minutos:
As propriedades diuréticas da cafeína entram em ação. Você urina.
Agora é garantido que porá para fora cálcio, magnésio e zinco, os quais seus ossos precisariam..
Conforme a onda abaixa você sofrerá um choque de açúcar.
Ficará irritadiço.
Você já terá posto para fora tudo que estava no refrigerante, mas não sem antes ter posto para fora, junto, coisas das quais farão falta ao seu organismo.

*Pense nisso antes de beber refrigerantes.
Se não puder evitá-los, modere sua ingestão!
Prefira sucos naturais.
Seu corpo agradece!*

sábado, 24 de dezembro de 2011

Não há Comparação

Bom dia pessoal??
Quanto tempo hein?Pois é, estou de repouso pós-cirúrgico, fiz uma cirurgia de catarata por isso fiquei um tempinho sem postar nada pra vcs.
Mas, estou de volta, ainda me recuperando, mas já estou por aqui!!
Agradeço a todos pelo carinho, respeito e atenção, por mim e pelo meu trabalho.Obrigado a todos, de coração!!
Bem, aproveitando o clíma natalino, achei esse texto de reflexão e gostei muito,por isso resolvi compartilhar com todos que sempre estão visitando meu blog.
Espero que essas palavras a seguir, faça você refletir no verdadeiro espírito do Natal e transforme sua vida de hoje em diante.

DESEJO A TODOS UM FELIZ  NATAL E UM 2012, CHEIO DE MUITA PAZ, AMOR, ALEGRIAS E SUCESSO!!

XEROS ANABÓLICOS NO CORAÇÃO!






Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. Lucas 2:11

A esta altura do mês de dezembro, você deve estar bastante cansado de ter andado pelo comércio e por muitas lojas na correria insana à procura de presentes e dos preparativos para a celebração do Natal junto à sua família e amigos.

Certa vez recebi à véspera do Natal o seguinte texto de autor desconhecido intitulado “Nenhuma comparação”:

“Por que Jesus é melhor do que Papai Noel? Papai Noel vive no polo norte. Jesus está em todos os lugares. Papai Noel anda num trenó. Jesus anda nas asas do vento e andou sobre as águas. Papai Noel nos visita uma vez por ano. Jesus está sempre presente para nos ajudar. Papai Noel enche suas meias com presentes. Jesus supre todas as suas necessidades. Papai Noel entra pela chaminé sem ser convidado. Jesus está à porta e bate... então, entra em nosso coração quando convidado.

“Você tem que ficar na fila para ver Papai Noel. Basta mencionar o nome Jesus, e Ele está ali pertinho. Papai Noel deixa você sentar em seu colo. Jesus deixa você descansar em Seus braços. Papai Noel não sabe o seu nome, ele diz: ‘Ei, garotinho’, ‘Ei, menininha, como é o seu nome?’ Jesus já sabia nosso nome antes mesmo de nascermos. Ele não somente conhece nosso nome, Ele sabe o nosso endereço também. Ele conhece nossa história e nosso futuro, e sabe quantos fios de cabelo temos na cabeça.

“Papai Noel tem a sacola cheia de doces. Jesus tem o coração cheio de amor. Papai Noel diz: ‘Não precisa chorar.’ Jesus diz: ‘Vou cuidar de você; lance seus cuidados sobre Mim e Eu cuidarei de você.’

“Os que ajudam o Papai Noel fazem brinquedos. Jesus faz vidas novas, remenda corações feridos, conserta lares quebrados e constrói mansões.

“Papai Noel coloca presentes sob sua árvore. Jesus tornou-Se nosso presente e morreu numa ‘árvore’.”

Não há sombra de dúvidas; realmente não há comparação. Apenas devemos nos lembrar do verdadeiro sentido do Natal. E colocar Jesus no centro da festa.

Jesus é a razão do Natal.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Quais são os exercícios mais adequados para quem tem problema na tireoide?

O ideal é intercalar exercícios de impacto – como caminhada ou corrida – com os sem impacto, como pedaladas, natação e hidroginástica.
 


 
M de Mulher
Quem tem problemas na tireoide pode engordar? Sim. A tireoide é uma glândula que rege a hipófise, responsável por secretar hormônios para todo o organismo. Um deles é o TSH, que estimula a tireoide a produzir T3 e T4. Quando ela fabrica esses hormônios em quantidade insuficiente, ocorre o hipotireoidismo, que deixa o corpo mais lento. Nesse caso, o cansaço piora, os músculos ficam mais sensíveis e o metabolismo desacelera. Por isso, quem tem esse problema sofre para perder peso ou pode até engordar.

Como resolver o problema? O primeiro passo é procurar um médico. Ele prescreverá o tratamento mais adequado, que pode ou não ser com medicamentos. A prática de exercícios físicos também pode estimular a tireoide. No caso das sedentárias, é importante fazer primeiro uma avaliação física (incluindo um teste cardíaco). Se tudo estiver ok, então é hora iniciar seu treino.

“Exercícios Aeróbicos são de extrema importância para ajudar no controle hormonal! O ideal é intercalar exercícios de impacto – como caminhada ou corrida – com os sem impacto, como pedaladas, natação e hidroginástica. Assim é possível prevenir dores em articulações como joelho, quadril e tornozelo e também na coluna”, explica Danilo Cezar de Souza, especialista em Exercício Físico Aplicado na Clínica Médica da Unifesp e professor da academia Movement, em São Paulo.

Também é importante praticar musculação. O aumento da massa muscular pode acelerar o metabolismo do organismo e, com isso, a queima calórica. Aos poucos, é possível aumentar a a duração e a intensidade tantos dos exercícios de força como os aeróbios. Mas, para isso, é importante ter o acompanhamento de um profissional de educação física. Mais um detalhe importante! “O ideal é sempre treinar com um frequencímetro para monitorar os batimentos cardíacos. Dessa forma, fica mais fácil descobrir a intensidade ótima do exercício, evitando um descontrole hormonal”, aconselha Danilo.

Por Patrícia Giuffrida

Exercícios ajudam a combater efeitos do gene da obesidade

Revisão de estudos sobre o tema mostrou que malhar pode reduzir em até 30% os efeitos do gene "engordativo"
 
 

IG
Com as festas de fim de ano à porta, uma nova pesquisa oferece novidades que trazem esperança a respeito da obesidade e do destino, bem como sobre as consequências das escolhas que fazemos.

Os pesquisadores envolvidos reuniram os resultados de dezenas de estudos dedicados aos efeitos do exercício físico sobre o chamado gene da obesidade, que, acredita-se, aumenta em 12% ou mais o risco de que seus portadores tenham sobrepeso ou obesidade.

Vários anos atrás, os cientistas identificaram esse gene, conhecido como gene "associado à massa de gordura e à obesidade", ou gene FTO. Acontece que ele é bastante comum, infelizmente.

Segundo as estimativas, cerca de 65% das pessoas de ascendência europeia ou africana e talvez 44% dos descendentes de asiáticos têm alguma versão do gene FTO. Essas descobertas parecem sugerir que a maior parte de nós tem o sobrepeso como destino, uma ideia desanimadora – e que pode até ser do tipo "autorrealizável".

Um artigo publicado em fevereiro no The New England Journal of Medicine relatou que voluntários que descobriram ser portadores do gene FTO – ou de genes similares que incitam o acúmulo de gordura – começaram a comer alimentos mais gordurosos e em quantidades maiores, de modo mais inconsequente, ao longo dos três meses após terem sido informados de que tinham o gene. Isso ocorreu, provavelmente, porque eles acreditavam que o seu destino, pelo menos em termos de peso, já estava determinado.

Mas o novo estudo, publicado neste mês pela revista PLoS Medicine, sugere enfaticamente o contrário. Ele constatou que a atividade física, mesmo em pequenas doses, pode subverter o destino genético.

"Logo após a descoberta do FTO, em 2007, estudos mostraram que a atividade física atenua o efeito do gene no ganho de peso corporal", disse Ruth Loos, chefe de pesquisas no Instituto de Ciências Metabólicas em Cambridge, Inglaterra, e autora sênior do estudo.

"No entanto, tais pesquisas foram seguidas por experimentos que não conseguiram confirmar essa relação de forma convincente ou que não encontraram relação alguma".

Na esperança de reduzir a confusão entre os cientistas sobre o papel que o exercício físico pode exercer na atividade do gene, ela e seus colegas contataram os muitos pesquisadores que já haviam publicado sobre o assunto nos Estados Unidos e na Europa e lhes pediram, como cortesia profissional, que reanalisassem seus dados.

Loos e seu grupo suspeitavam de que parte da razão pela qual os resultados variavam era que as equipes de pesquisa empregavam métodos muito diferentes para quantificar e definir níveis de atividade física. Assim, na maioria das vezes, elas definiam uma pessoa fisicamente ativa como alguém que se envolve em pelo menos uma hora de atividade física, de moderada a vigorosa, por semana.

Mesmo de acordo com esse padrão bastante generoso, apenas 25% dos 218 mil portadores de FTO que tinham sido estudados em várias experiências até hoje se qualificaram como ativos.

Contudo, essas pessoas, segundo mostraram os dados recém-reanalisados, conseguiram superar, em parte, sua herança genética. Ser fisicamente ativo, de acordo com a nova análise, "reduziu o efeito do FTO em cerca de 30%", disse Loos.

Por mais que isso ainda deixe intacto 70% do efeito "engordativo" do gene, acrescenta ela, as consequências da atividade física sobre o funcionamento desse gene parecem ser substanciais o suficiente para talvez permitir a manutenção de uma silhueta normal por que alguém que de outra forma se tornaria bastante obeso.

Os cientistas ainda não entendem como o gene FTO promove o ganho de peso, apesar de suspeitarem que ele afeta o apetite e comportamento.

"Embora haja apenas dados funcionais limitados, parece que o gene se expressa bastante no cérebro", disse Lu Qi, professor assistente do departamento de nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard e um dos dezenas de cientistas que concordaram em reexaminar seus dados para a nova pesquisa. O gene é especialmente ativo "nas regiões que regulam o equilíbrio do consumo e do gasto energético", continua ele.

"A perda do equilíbrio energético é a base do desenvolvimento da obesidade." Consequentemente, a atividade física pode ter efeitos compensatórios no cérebro e na produção de energia.

"A atividade física está entre os fatores mais importantes do gasto energético", disse Qi. "Biologicamente, é possível que esses dois fatores, os genes e atividade física, possam interagir e afetar o equilíbrio energético".

Também é possível que o exercício altere diretamente a forma como o gene FTO atua, modificando tanto o modo como ele expressa certas proteínas quanto a maneira de ele permanecer inativo. Mas todas essas explicações são "especulativas" no momento, segundo Loos, e exigem a realização de mais pesquisas.

Ainda assim, as implicações da nova análise podem ser encorajadoras. "Muitas vezes as pessoas acham que a obesidade é algo de família ou que está em seus genes e, portanto, acreditam que não têm controle sobre seus problemas de peso", explicou Loos.

"Nosso estudo mostra que a atividade física desempenha um papel no controle do peso, mesmo naquelas pessoas que são geneticamente predispostas a engordar".

Além disso, a quantidade de atividade física exigida não precisa ser muito grande, acrescenta ela. "Você não tem que correr uma maratona ou frequentar uma academia", disse ela.

"Passear com o cachorro, ir de bicicleta para o trabalho, cuidar do jardim – tudo isso conta" e deve ajudar a combater os efeitos do gene FTO.

"Esperamos que a nossa mensagem dê força para pessoas que talvez tenham desistido de controlar o peso", concluiu Loos.

Por Gretchen Reynolds

Usado para tratar rugas, ácido retinoico pode envelhecer a pele

Irritação e vermelhidão excessivas após o uso do ácido são sinais de problema e não de eficácia do produto.
 
 
 

Folha.com
O uso incorreto do ácido retinoico, receitado para tratar rugas e acne, pode envelhecer a pele.

O ácido induz a formação de colágeno, que dá firmeza à pele, melhora o aspecto de manchas e reduz os poros.

Mas, segundo um estudo publicado no "British Journal of Dermatology", se o ácido retinoico causar inflamação, sua ação e a produção de colágeno serão reduzidas.

De acordo com Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, descamação, irritação e vermelhidão excessivas após o uso do ácido são sinais de problema e não de eficácia do produto, ao contrário do que muitos pensam.


Volpe diz que, no início do uso do ácido, a irritação é normal. "Mas, se ela for prolongada, ocorre uma inflamação. Aí se dá o efeito contrário, e o colágeno é destruído. Você pode envelhecer ou ficar na estaca zero, porque o produto não age."

Em caso de inflamação, o dermatologista recomenda consultar um médico para reduzir o uso do produto ou sua concentração, intercalar os dias da aplicação ou até suspendê-la.

No estudo, foram testadas as concentrações de 0,01%, 0,025% e 0,05% do ácido, aplicado nas nádegas de voluntários três vezes por semana por oito semanas. Os médicos fizeram biópsias periódicas na pele deles e constataram a inflamação e a redução do colágeno em quem usou concentrações maiores ou iguais a 0,025% de ácido.

"Até agora, a gente achava que, quanto maior a dose do ácido, maior o efeito terapêutico. O estudo mostrou que precisamos levar o processo inflamatório em conta", afirma Volpe.

No entanto, o médico diz que as reações dependem do tipo de pele.

A dermatologista Denise Steiner faz ressalvas ao estudo e compara os resultados com a prática clínica. "A melhora parece maior quando se tem a irritação, talvez porque, ao descamar, a pele fica mais fina e há maior penetração do produto."

Por Mariana Versolato

Correr maratonas pode trazer problemas cardíacos


Estudo mostra que atividades de alto impacto como correr maratonas podem ocasionar cicatrizes no coração




Terra
Cientistas australianos anunciaram as conclusões de um estudo que atingem diretamente os amantes da corrida: correr maratonas pode causar danos permanentes ao coração. A pesquisa, feita na University of Melbourne, na Austrália, mostra que atividades de alto impacto podem ocasionar cicatrizes no coração, aumentando o risco de complicações de saúde. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

As conclusões mostram que o ventrículo direito é mais suscetível aos danos e, por este motivo, ele será o foco das atenções nas pesquisas sobre o assunto. Os atletas afetados podem ter seu desempenho reduzido, além de arritmia ou uma síndrome cardíaca ocasionada pelo excesso de treinamento.

Os cientistas avaliaram 40 atletas sem histórico de problemas no coração, que planejavam correr em provas de resistência. Os resultados mostraram que, imediatamente após a corrida, o coração dos atletas mudaram a forma e o volume, enquanto o ventrículo direito, que bombeia o sangue para os pulmões, diminuiu.

Depois de uma semana, as funções foram recuperadas na maior parte dos casos, mas em cinco pessoas comprovou-se o aparecimento de cicatrizes permanentes.

Junto com outros problemas cardíacos, os danos podem reduzir a capacidade de bombeamento do sangue, resultando em insuficiência cardíaca.

Os pesquisadores envolvidos com o estudo avisam que ainda é cedo para atribuir aos esportes de alto impacto a culpa pelos danos ao ventrículo, mas afirmam que esse é um indicativo de que a questão deve ser investigada com atenção. Os resultados do estudo foram publicados no European Heart Journal.



sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Soja pode ajudar no combate à obesidade

A descoberta reforçou a teoria sobre os benefícios sobre a saúde dessas substâncias naturais às quais também são atribuídas propriedades anticancerígenas.
 

Folha
Cientistas espanhóis demonstraram as propriedades contra a obesidade e hepatoprotetoras das isoflavonas, substâncias de origem vegetal encontradas principalmente na soja e que atuam de forma similar a determinados hormônios que o organismo humano segrega, como os estrogênios.

O estudo, realizado por membros do Ciberobn (Centro de Pesquisa Biomédica em Rede-Fisiopatologia de Obesidade e Nutrição) da Fundação Imabis de Málaga, foi testado em roedores e publicado na edição de dezembro da revista "British Journal of Pharmacology".

Além das propriedades protetoras das isoflavonas da soja contra o aumento de peso, a pesquisa revelou também seu papel na ativação da gordura marrom termogênica e na redução da esteatose hepática associada (gordura no fígado), informou o centro de pesquisa.

A aplicação das isoflavonas em humanos poderia estabelecer uma nova via terapêutica para a obesidade utilizando, em vez de remédios, esse ingrediente ativo da soja.

A descoberta reforçou a teoria sobre os múltiplos benefícios sobre a saúde dessas substâncias naturais às quais também são atribuídas, por seu poder antioxidante, propriedades anticancerígenas, protetoras dos sistemas ósseo e coronário.

RESULTADO EM ANIMAIS

O teste identifica pela primeira vez as ações das isoflavonas da soja sobre a obesidade induzida por dieta em um modelo animal.

"Foi comprovada a diminuição do ganho de peso, a ativação do tecido adiposo pardo termogênico, além da redução da esteatose hepática associada", apontou o médico Fernando Rodríguez de Fonseca, chefe de grupo que lidera o trabalho.

A intervenção nutricional foi realizada em 36 ratos, que receberam dois tipos diferentes de dieta, uma rica em hidratos de carbono e outra muito rica em gorduras, que induziu obesidade, diabetes e gordura no fígado.

Posteriormente, os ratos foram tratados com daidzeína (um dos principais tipos de isoflavona) durante 14 dias.

Os principais resultados demonstraram que, quanto maior a dose de daidzeína na dieta, menor é o ganho de peso e menor a presença de gordura hepática.

Essa descoberta foi associada a níveis altos de leptina (conhecida como o hormônio da magreza, que tem entre suas funções a de inibir o apetite) e baixos conteúdos de adiponectina (cujos níveis circulantes são inversamente proporcionais ao índice de massa corporal e à porcentagem de gordura corporal e que também aumentam a sensibilidade à insulina).

A prática constatou também que uma enzima com um papel determinante na termogênese aumentou no tecido adiposo marrom depois do tratamento com daidzeína.

No entanto, os autores esclareceram que esse estudo em modelos animais não é completamente aplicável a humanos, dado que as doses efetivas, a rota de administração e o diferente metabolismo dos roedores podem fazer variar muito os resultados.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Como fortalecer os ombros com apenas um par de halteres

Abdução de ombros, uns dos exercícios mais poderosos para a região do deltóide



- colocar-se de pé com pesos nas mãos e braços estendidos ao longo do corpo;
- elevar lenta e lateralmente os pesos até ao nível das orelhas, sempre com os braços estendidos, rodando os pulsos como que a verter água de um copo; voltar lentamente à posição inicial;
- iniciar com um peso pequeno, com uma série de 10 repétições e progredir até 3 séries de 12-15 repetições cada; posteriormente aumentar a carga do exercício.


Academias devem exigir check-up específico para praticantes de atividade física, aconselham médicos

Pessoal, vale a pena refletir...E ainda tem gente que diz que eu exigo muito na hora de fechar contrato.rsrsr...
Será??
 
Exames podem evitar riscos de lesões musculares, infartos e até mesmo a morte súbita.
 

 
Rede Notícia
Com a chegada do verão, muitas pessoas já se matricularam na academia, ou pior, começaram a fazer exercícios por conta própria sem saber como está a saúde. Antes disso, porém, é necessário passar por um check-up específico para evitar problemas graves, concordam os médicos.

“Toda e qualquer atividade física deve ser precedida de consulta médica e exames complementares. Ao pular esta etapa, o individuo pode apresentar lesões musculares, infartos e até mesmo a morte súbita. As pessoas não devem ignorar essa fase. As academias devem exigir essa avaliação e as pessoas têm de obedecer sem medo”, alerta o médico Joel Schmillevitch, do Centro de Diagnóstico Schmillevitch.

Saiba mais sobre os exames que devem ser feitos:

Eletrocardiograma: serve para verificar a atividade elétrica do coração, como arritmias, bloqueios ou sobrecargas. É possível prevenir infartos com antecedência.

Teste Ergométrico: serve para verificar a capacidade física do individuo, ou seja, o comportamento da pressão arterial, arritmias, isquemia do músculo cardíaco por meio de esteira ergométrica.

Ecocardiograma: verifica as estruturas do coração pelo método de ultrassom, como a contratibilidade do músculo cardíaco, área de isquemia e as válvulas.

Segundo o cardiologista Anibal Barros, também do Schmillevitch, toda e qualquer atividade física deve ser precedida de consulta médica e exames complementares. O mesmo conselho vale para os atletas de final de semana. Os riscos de lesões e até a morte são altos.

Para quem está há anos longe dos esportes, o ideal, de acordo com o Dr. Joel, é começar por atividades mais leves, como caminhar, nadar, musculação, alongamento.

Outro alerta é para aqueles que estão com sobrepeso e não são adeptos do check-up. “Além de descobrir ser portador de colesterol elevado, diabetes e hipertensão por causa do sobrepeso e evitar um problema cardiovascular, esse excesso com exercícios de alta impacto, como corrida, por exemplo, pode lesionar ligamentos”, explica.

Pessoas da terceira idade desavisadas ainda podem sofrer fraturas durante a prática esportiva sem saber que são portadores de osteoporose, doença silenciosa que enfraquece os ossos, e que pode ser detectada com um exame de densitometria óssea.

Os asmáticos, que se exercitam, também devem fazer periodicamente o exame de função pulmonar, já que se não tratada, a doença pode levar a morte, provocando parada cardiorrespiratória.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

FLEXÃO DE COTOVELOS COM HALTERES - FOCO: BÍCEPS BRAQUIAL

Treino na academia Super Fitness
Um dos melhores exercícios para desenvolvimento do bíceps.


video

MUSCULATURA ENVOLVIDA     

MúsculoLocalizaçãoMovimento
Bíceps BraquialFrente do BraçoFlexão do cotovelo
Supinação do antebraço
BraquialFrente do braço, abaixo do bíceps e próximo ao cotoveloEnvolvido no início da flexão (É considerado o “motor” deste movimento porque possui a melhor alavanca)
Bráquio-radialAntebraço porção lateral, próximo ao cotoveloFlexão do cotovelo
Auxiliar na supinação do antebraço
Pronador RedondoAlto da porção frontal do antebraçoAuxiliar na flexão do cotovelo

 Uso esportivo
A rosca direta com halteres é um exercício efetivo para o condicionamento dos músculos da parte frontal do braço para o uso, principalmente, em movimentos de puxar e elevar, que estão presentes nos seguintes esportes:
- Levantamento Olímpico
- Ginástica Olímpica
- Artes Marciais
- Luta Olímpica
- Futebol Americano
- Basquete
- Esportes com raquete
- Hockey no gelo
- Hockey
- Lacrosse
- Alpinismo     

Por Michael Yessis
Tradução: Prof. Benito Olmos

sábado, 26 de novembro de 2011

BRITÂNICO VICIADO DIZ BEBER 18 LATINHAS DE COCA-COLA POR DIA!


Um britânico que vive em Stockport, uma cidade na Grande Manchester, afirmou que é viciado em Coca-Cola Diet. “Mas, defina vício”, pode pedir você, caro leitor.
Aos incrédulos, digo, Darren Jones, de 38 anos, bebe 18 latinhas do refrigerante por dia! Isso equivale a 42 litros de Coca-Cola Diet goela adentro por semana, a um custo de cerca de R$ 8.700 por ano.
Jones não passa 24 horas sem dar um gole no refrigerante. Ele afirma que seu vício vem piorando tanto que ele não consegue sair de casa sem uma latinha nas mãos.
O britânico reconhece que nos últimos dez anos deve ter bebido umas 65.700 latinhas. Ele afirma não sentir qualquer problema de saúde, apesar de ser obeso.
O diretor adjunto do sistema de saúde pública de Stockport afirmou que a Coca-Cola Diet contém edulcorantes artificiais e cafeína que causam problemas no organismo se ingeridos em excesso, como é o caso de Jones.

CRITÉRIO NA COMPRA DO TÊNIS EVITA LESÕES E MELHORA DESEMPENHO


Detalhes como o sistema de amortecimento, o formato da sola e a da ponta do sapato e, principalmente, o seu tipo de pisada devem ser considerados.
 
Diário de Pernambuco
Achar o tênis ideal para garantir o melhor desempenho na atividade física e ainda corrigir problemas na pisada não é tarefa fácil. O mais grave é que a aparência do tênis é um quesito muitas vezes priorizado na hora dessa escolha, o que pode trazer sérios riscos ao praticante. Detalhes como o sistema de amortecimento, o formato da sola e a da ponta do sapato e, principalmente, o seu tipo de pisada devem ser considerados para que o resultado seja o melhor possível e as lesões nas articulações e bolhas nos pés fiquem bem longe. Cuidar bem do tênis também é fundamental para evitar que o investimento seja perdido antes da hora.

Antes de tudo, é importante conhecer o tipo de pisada de quem vai conviver com o calçado para que os reforços sejam adequados às necessidades de cada par de pés:

Pronador: é aquele que pisa para dentro, causando desgaste maior na borda interna do tênis. Os pronadores precisam de um tênis que ofereça um apoio a mais no arco do pé.

Supinador: quem tem esse tipo de pisada apoia o pé para fora durante a passada e o desgaste é maior na parte externa do tênis. Aqueles que pisam assim devem buscar um modelo com reforço extra na parte de fora do tênis.

Neutro: o corredor que apoia o pé no solo de modo uniforme. A prescrição do tênis para este tipo de corredor deve levar em conta a distribuição uniforme dos reforços do solado do calçado.

Além disso, entre os detalhes que devem ser analisados para a compra de um tênis, um bom sistema de absorção do impacto do pé com o chão deve ser o fator principal de um calçado para a atividade desejada, especialmente na corrida e na caminhada. Seja qual for a tecnologia empregada (ar ou gel, na maioria dos casos), precisa amortecer o choque desde o calcanhar até a ponta do pé. Portanto, o dispositivo anti-impacto tem de estar na sola inteira.

Um tênis adequado para corrida deve pesar entre 300 e 350 gramas cada pé, mas há modelos tecnológicos que chegam a menos de 250 gramas. Esse detalhe é importante para o atleta se deslocar com eficiência e ganhar velocidade.

A ponta deve ser levemente voltada para cima, para evitar tropeços e facilitar a dobra do pé no momento do arranque.

O modelo ideal de sola para garantir tração e estabilidade pode variar dependendo do terreno em que você vai correr. Para asfalto e pistas de terra batida, deve ter rachaduras que incrementem a aderência ao solo. O modelo para trilhas acidentadas tem que possuir solado mais rígido e com travas.

Aumente a vida útil do tênis:

* Após a atividade física, é importante colocar o tênis para arejar em um local com boa ventilação e à sombra. Evite deixá-lo ao sol: o calor resseca os materiais (especialmente espuma e borracha), acelerando o processo de desgaste.

* Caso precise eliminar odores desagradáveis, aplique um odorizador, que previne e neutraliza bactérias e fungos.

* Só lave o tênis quando for realmente necessário. Ao levá-lo para o tanque, retire o cadarço e a palmilha e use sabão neutro, escova de cerdas macias e o mínimo possível de água. Jamais deixe de molho ou utilize alvejante, que pode ressecar e reduzir bastante a vida útil do calçado.

* Para secar, passe uma toalha velha por dentro e por fora, para retirar o excesso de água, e coloque-o à sombra na horizontal, com a sola virada para baixo (nunca pendure no varal).

* Se puder ter dois pares para fazer rodízio, melhor. Deixe um descansando por pelo menos 24 horas (tempo que a borracha da sola leva para voltar ao tamanho original).

Por Éverton Oliveira


terça-feira, 22 de novembro de 2011

O CUSTO DA DEPRESSÃO

Os antidepressivos geram lucro de mais de US$ 20 bilhões para as companhias farmacêuticas; o problema é cada vez mais frequente e começa a aparecer mais cedo.
 
 

Mente e Cérebro
Em 2008, os antidepressivos foram o oitavo tipo de droga mais prescrito no mundo, gerando um lucro de mais de US$ 20 bilhões para as companhias farmacêuticas. Nos Estados Unidos, o tratamento de uma única pessoa com depressão custa, em média, US$ 5 mil anuais, e surgem 10 milhões de novos casos por ano. Se, aparentemente, há mais gastos com medicamentos que “corrigem” o desequilíbrio químico, por que a depressão é dez vezes mais frequente do que na década de 60 e começa a aparecer cada vez mais cedo?

Para o psicólogo Martin Seligman, diretor do Centro de Psicologia Positiva da Universidade da Pensilvânia, o crescente volume de prescrições de medicamentos sugere a ideia equivocada de que o transtorno tem causa fundamentalmente biológica. “É impossível que em 40 anos nossos genes e hormônios tenham mudado o suficiente para resultar em um índice de depressão dez vezes maior. O problema está associado a mudanças sociais”, analisa.

O transtorno é mais frequente em pessoas com mais de 65 anos, que corresponderão a 10% da população mundial em duas décadas, segundo a OMS. Estudos epidemiológicos têm mostrado que 20% delas apresentam sintomas depressivos. Porém, entre idosos que vivem em asilos ou internados em hospitais para tratamento clínico, o transtorno tem incidência de 80%. “É um problema de saúde pública associado às mudanças no perfil populacional de muitos países, pois o número de pessoas que passam os últimos anos de vida sem o apoio da família, muitas delas vivendo sozinhas, é proporcional ao aumento da expectativa de vida”, observa o psiquiatra Henry Brodaty, do Departamento de Psiquiatria para a Terceira Idade da Universidade de New South Wales, na Austrália. Segundo ele, para elaborar uma política de saúde pública com estratégias de prevenção são necessárias informações sobre a frequência e a distribuição dos transtornos depressivos. “Os estudos epidemiológicos sobre depressão em vários países, por exemplo, têm identificado maior incidência do transtorno depressivo maior (MDE) em mulheres com baixo nível de escolaridade e de renda, o que muda a percepção equivocada de que esta seria uma epidemia de 'nações ricas'. Identificar 'grupos de risco' pode tornar as abordagens preventivas mais eficientes, reduzindo a morbidade e o alto custo individual e social da doença”, diz.
A depressão é caracterizada por tristeza, baixa da auto-estima, pessimismo, pensamentos negativos recorrentes, desesperança e desespero. Seus sintomas são, fadiga, irritabilidade, retraimento e ideação suicida. O humor depressivo pode aparecer como uma resposta a situações reais, por meio de uma reação vivencial depressiva, quando diante de fatos desagradáveis, aborrecedores, frustrações e perdas.Trata-se, neste caso, de uma resposta a conflitos íntimos e determinados por fatores vivenciais. A depressão está associada a uma alta incapacidade e perda social. Muitos estudos apontam à possibilidade de pessoas fisicamente ativas, em qualquer idade, apresentarem uma melhor saúde mental do que sedentários. Entre as hipoteses que tentam explicar a ação dos exercícios sobre a ansiedade e depressão, uma das mais aceita é a hipótese das Endorfinas. A teoria da endorfina sugere que a atividade física desencadearia uma secreção de endorfinas capaz de provocar um estado de euforia natural, por isso, aliviando os sintomas da depressão. Essa idéia, entretanto, não tem consenso entre os pesquisadores. Alguns deles, por exemplo, preferem acreditar que o exercício físico regularia a neurotransmissão da noradrenalina e da serotonina, igualmente aliviando os sintomas da depressão. Outra hipótese seria a cognitiva. De natureza eminentemente psicológica, a hipótese cognitiva se fundamenta na melhoria da autoestima mediante a prática do exercício, sustentando que os exercícios em longos prazos ou os exercícios intensivos melhorariam a imagem de si mesmo e, conseqüentemente, a autoestima.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

ESTROGÊNIO AFETA METABOLISMO DAS MULHERES DIRETAMENTE NO CÉREBRO

Bloqueio de receptores de estrogênio aumenta o consumo de alimentos e retarda o processo de queima de gordura do metabolismo



Não é nenhum segredo que as mulheres têm uma maior tendência de ganhar peso com o passar dos anos.

Sempre se associou esse aumento na gordura corporal com o hormônio feminino estrogênio, embora os mecanismos de atuação não sejam bem claros.

Agora, cientistas rastrearam os efeitos do estrogênio no metabolismo e mostraram seus efeitos em várias partes do cérebro.

Receptores de estrogênio

O estrogênio age sobre receptores encontrados em todo o corpo, na gordura, nos ovários e nos músculos.

Mas quando se trata do papel do estrogênio sobre o metabolismo, Deborah Clegg e seus colegas da Universidade do Texas (EUA) desconfiaram dos receptores cerebrais.

Eles focaram o estudo no receptor de estrogênio alfa (ERα), que outros estudos já haviam indicado estar associado com variações no equilíbrio metabólico.

Quando a equipe "deletou" esses receptores do cérebro de camundongos, "eles se tornaram camundongos muito, muito gordos," descreve a cientista.

Os animais consumiram mais e queimaram menos gordura.

Reposição hormonal

Os pesquisadores mostraram que as camundongos fêmeas sem o receptor ERα em uma parte do cérebro ganharam peso sem qualquer aumento na ingestão de alimentos.

Por outro lado, a supressão do ER&alpha em outra parte do cérebro teve efeito contrário, com os animais comendo mais sem ganhar peso.

O objetivo dos cientistas é desenvolver terapias que possam controlar esses receptores.

As terapias de reposição hormonal estão francamente em desuso, devido aos efeitos colaterais, mas os cientistas afirmam ter esperanças de que a ação seletiva nesses receptores possa levar a terapias que não elevem os riscos de doenças do coração e câncer de mama.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

TREINO PARA DELTÓIDES COM GEAN CARLOS

Olá pessoal?!!
Vai aí mais um treino...desta vez com Gean C.
TREINO:

-Deltóides.
Exercício:

-Elevação lateral.
Valeu Gean, muito proveitoso este treino!!



quinta-feira, 20 de outubro de 2011

TREINO MEGA PESADO!!


Olá pessoal!!
Segue mais um mega treino com Simone Andrade.
#Fica a dica de hoje#



 
Crucifixo medial no Cross Over
Foco: peitoral maior e deltóide anterior.





Tríceps no Pulley
Foco: tríceps braquial.

Flexão de joelhos em pé (caneleira)
Foco: bíceps femural.

Brasileiros consomem 15 milhões de litros de refrigerante por dia!

A bebida impulsiona o desenvolvimento da obesidade, diabetes e aumenta os triglicérides

Da Equipe Medicando

Brasileiros consomem 15 milhões de litros de refrigerante por dia
Foto: Reprodução
A bebida impulsiona o desenvolvimento da obesidade, diabetes e o aumenta os triglicérides
Por Fernanda Brandão | Press FC

O consumo de refrigerante normal, diet ou light por brasileiros totaliza, por dia, mais de 15 milhões de litros. Isso é o que comprova a “Análise de Consumo Alimentar Pessoal no Brasil”, realizada pelo IBGE.

Embora o refrigerante seja uma bebida consumida e aceita mundialmente, é importante ressaltar os efeitos que ele pode causar no organismo. “Os refrigerantes na versão normal possuem alto teor de açúcar simples, o que aumenta expressivamente o risco de desenvolver obesidade, diabetes tipo II, elevados níveis de triglicerídeos no sangue, além de impedir a absorção de nutrientes essenciais”, alerta Fabiana Curvelo, nutricionista mestre em alimentos, nutrição e saúde pela Universidade Federal da Bahia.

As versões diet ou light não contribuem para os riscos listados acima, pois não fornecem calorias. Porém, na fórmula existem edulcorantes, como aspartame, sacarina e ciclamato monossódico que podem elevar os níveis de pressão arterial, já que possuem alto teor de sódio. “Ensaios laboratoriais realizados em ratos constaram o surgimento de tumores na bexiga e no cérebro daqueles que foram submetidos a altas doses dos edulcorantes”, conta Fabiana.

É preciso evitar principalmente os refrigerantes à base de cola. Eles podem contribuir para o desenvolvimento de gastrites, esofagites e até úlceras, afinal, esse composto irrita a mucosa gástrica. “O gás carbônico pode aumentar os casos de azia e refluxo gastroesofágico (retorno do conteúdo do estômago para parte do esôfago). A bebida pode ser consumida, mas com parcimônia”, afirma.

É interessante, e melhor para a saúde, substituir o refrigerante por água ou suco de frutas sem açúcar. “Inúmeras pessoas são viciadas na bebida, e é muito complicado deixar esse hábito. Nestes casos a ajuda de um nutricionista, aliado a um tratamento médico e psicoterápico é uma boa alternativa”, finaliza.

Vale lembrar que na pirâmide alimentar adaptada para a população brasileira, os alimentos ricos em açúcares, como os refrigerantes, estão no topo. Logo, o ideal é que o consumo nestes casos seja esporádico. 

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

TREINO COM SIMONE ANDRADE (REFEA ACADEMIA)

Olá pessoal?!
Vamos aí a mais um post de treino com Simone Andrade na refea Center academia.
Treino:

-quadríceps,
-dorsais,
-glúteos e
 tríceps.
Musculatura já está bem mais aparente, mas ainda tem trabalho pela frente.
Deixo aqui os meus votos de parabéns pela dedicação e afinco a cada treino. Muita saúde e coragem Si!!













sábado, 15 de outubro de 2011

VOCÊ TREINA PARA SUPLEMENTAR, OU SUPLEMENTA PARA TREINAR?

Bom dia pessoal!!
Estava eu visitando alguns sites e links de amigos e achei esse texto do Dr.Rodolfo Peres, bem convidativo para compartilhar com vocês, pois é algo que vivencio constantemente dentro do ambiente das academias.

Uma ótima leitura a todos e um bom fim de semana.
Forte abraços anabólicos!
Alex Oliveira
Personal Trainer

Na última quinta-feira, Eu estava na academia treinando,  e aconteceu uma situação bem interessante, da qual não  poderia deixar de compartilhar com Vocês.  Fui abordado por um paciente meu com a seguinte pergunta:
-Rodolfo quando Você irá me indicar um suplemento mais forte para tomar antes do treino?
‘O que causa a demanda para o consumo de um determinado suplemento, é a intensidade do treino do qual Você está realizando, e não, o oposto!’

Cômico, não fosse trágico, por assim dizer,  olhando o treino que o elemento estava fazendo, ou melhor, aquilo estava mais para o ‘cisne negro’ do que para um treino de musculação.  Só pude encerrar o papo com a seguinte frase (pois  Eu sim estava treinando):
-Amigo com esse treino que estou vendo você realizar, uma folha de alface acompanhada de um copo de água mineral com 2 cubos de gelo, já será mais do que suficiente para suprir suas demandas!
Procure imediatamente um treinador eficiente que o instrua de forma correta. Comece a treinar com afinco e só depois pensaremos em algo mais específico para você! Não coloque a carroça na frente dos burros.

E Você, está treinando para suplementar, ou suplementa para treinar?

Uma ótima semana a todos, fiquem com DEUS!

Rodolfo Peres (nutricionista esportivo) 

Acessem: www.rodolfoperes.com.br  


Shut Up and Train!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

O PODEROSO ÓLEO DE COCO PARA AUXILIAR NA PERDA DE GORDURA CORPÓREA


Os benefícios associados ao consumo do “óleo de coco” são reconhecidos e valorizados pela Medicina Ayurveda na Índia há quase três mil anos. Em sânscrito, o coqueiro é chamado de “kalpa vriksha”, que significa “árvore que fornece tudo que é necessário para a vida”.

O óleo de coco é comumente dividido em duas amplas categorias: refinado e virgem. O óleo refinado é tipicamente obtido do coco seco, chamado de copra. O óleo de coco virgem é obtido a partir de cocos frescos. Como elevadas temperaturas e solventes químicos não são empregados, o óleo virgem mantém seus fitoquímicos naturais, responsáveis pelos seus suaves sabor e aroma. Estudos recentes realizados em animais, conduzidos na Índia, comparando óleo de copra (refinado) com óleo de coco virgem, demonstraram que os animais que utilizaram óleo virgem apresentaram efeitos benéficos significantemente superiores ao do óleo de copra nos seguintes parâmetros:

• Redução dos níveis de colesterol total, fosfolipídeos e LDL-c;

• Aumento nos níveis tissulares e séricos de HDL-c;

• Efeito antitrombótico, avaliado através de dosagens de fibrina, fibrinogênio, fator V, 6-ketoPGF1α e tempo de protrombina;

• Ação antioxidante: o óleo de coco virgem promoveu redução da peroxidação lipídica tanto in vitro como in vivo.

Os autores concluíram que os antioxidantes presentes no óleo de coco virgem foram responsáveis pelas diferenças obtidas.

Propriedades Termogênicas

Em média, 2/3 dos ácidos graxos do óleo de coco são triglicerídeos de cadeia média (TCM). Após absorção intestinal, os TCM são transportados diretamente para o fígado, através do sistema porta, onde são beta-oxidados aumentando a termogênese pós-prandial8.

Um estudo realizado na Escola de Nutrição e Dietética Universidade de McGill, no Canadá, que avaliou o gasto energético e a composição corporal de 24 homens com IMC entre 25-31 kg/m2, através de calorimetria indireta e de ressonância magnética nuclear, verificou que o consumo de uma dieta rica em TCM durante 28 dias reduz a gordura abdominal em homens, possivelmente devido ao aumento do gasto energético, somado a um efeito sacietógeno. Um trabalho recente conduzido no Centro de Pesquisa de Obesidade e na Universidade de Columbia, em Nova York, avaliou a perda de peso corporal e a redução da massa gorda total e abdominal em 49 indivíduos submetidos a um programa alimentar de redução de peso, que consumiram azeite de oliva ou TCM, como parte de suas dietas. O consumo de TCM resultou em maior perda de peso e maior redução de gordura em relação ao azeite de oliva. Hormônios incluindo a colecistoquinina, peptídeo YY, peptídeo inibitório intestinal, neurotensina e polipeptídeo pancreático, têm sido propostos como agentes atuantes nos mecanismos pelos quais os TCM induzem à saciedade. Uma pesquisa realizada por Guo e colaboradores verificou que culturas de adipócitos tratados com ácido caprílico obtiveram uma inativação do PPAR- (receptor gama ativado por proliferador de peroxissomos) o que pode contribuir para a downregulation de genes lipogênicos dos adipócitos. Alguns autores também propõem que a administração de TCM possa modular a ação da grelina, indicando um outro efeito metabólico importante no combate à redução de peso corporal. A quantidade de TCM empregada nesses estudos varia desde 10g/dia até 48g/dia.

O óleo de coco virgem pode ser utilizado como tempero de saladas, adicionado a “shakes”, misturado em granola, iogurte, salada de frutas, etc. Pode também substituir os outros óleos utilizados na cozinha ou ser empregado em qualquer outro preparo culinário idealizado pelo consumidor. Pode-se também, tomar direto da colher, após as refeições.

Idealmente, o óleo de coco deve ser comprovadamente virgem e preferencialmente orgânico. O termo “óleo de coco virgem” é utilizado pela Comunidade do Coco da Ásia e do Pacífico (APCC) e pela Autoridade Filipina do Coco, órgão do Ministério da Agricultura das Filipinas.

O TheraHerb VCO é um óleo de coco virgem e orgânico. É certificado orgânico pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e pela ECOCERT, empresa fundada na França em 1991 e considerada uma das mais respeitadas certificadoras de produtos orgânicos do mundo

REGULANDO OS HORMÔNIOS COM ÓLEO DE PRÍMULA.


Irritabilidade, seios inchados e doloridos, alteração do humor, vontade incontrolável de comer chocolate, pele seca, áspera e sensível. Não importa a idade, estas queixas são comuns a muitas mulheres e podem ter a mesma origem: a deficiência de ácido gamalinolênico no organismo feminino. Encontrado com escassez na dieta rotineira, este ácido graxo essencial não é produzido naturalmente pelo corpo e é muito importante à saúde da mulher, uma vez que está envolvido diretamente no processo inflamatório e na manutenção da hidratação e proteção da pele.
Desta forma, deve ser reposto por meio da alimentação ou por suplementação oral, sempre com o acompanhamento de um nutricionista ou médico. "A semente de linhaça e as nozes, por exemplo, são fontes de ácido gamalinolênico. Entretanto, os óleos vegetais, como o óleo de prímula ou de borragem, são os que mais contêm esta substância ativa", comenta a farmacêutica Cristiane Fahl.
Além de ser antiinflamatório e combater os sintomas desagradáveis da tensão pré-menstrual (TPM), o ácido gamalinolênico também é usado como coadjuvante no tratamento de patologias crônicas, como a artrite reumatóide, doenças cardíacas e pode auxiliar, ainda, as mulheres durante a menopausa, pois neste período os baixos níveis de estrógenos podem ocasionar o ressecamento da pele e mucosa. "O ácido gamalinolênico pode melhorar este sintoma, pois ele é responsável por manter a barreira da pele íntegra, hidratada e protegida, evitando a perda de água para o ambiente. Além disto, estimula a produção de ceramidas, que são substâncias responsáveis por hidratar a pele", ressalta a farmacêutica.
Mas as vantagens deste ácido graxo essencial não terminam por aí. Hoje também existem diversas pesquisas que comprovam seus benefícios como complemento no tratamento de peles que sofrem com dermatite atópica, eczema e pele xerótica. "Muitos dermatologistas recomendam o ácido gamalinolênico porque ele tem propriedade antiinflamatória e estimula a síntese de ceramidas na pele",

Saúde e Lazer.

PERSONAL TRAINER, MUITO MAIS QUE UM EDUCADOR FÍSICO


"O personal training é uma área de prestação de serviços. Serviço é definido como um valor econômico, acrescido de valor pessoal. A qualidade do serviço destingue e compara os profissionais e gera a confiança pelo aluno. Então poderiamos dizer que para buscar novos alunos e manter os atuais, devemos oferecer um serviço de qualidade, onde irá gerar a confiança do aluno, assim como, proporcionar a divulgação destas qualidades para o público-alvo."
Antonio José Muller

sábado, 8 de outubro de 2011

2011-10-07. TREINAMENTO FUNCIONAL COM SIMONE ANDRADE

BALANCE DISC


KETTLEBELL TRAINING



SUSPENSION TRAINING


11ª FITNESS BRASIL, EU FUI!!

Entrada do Evento

Prof.Alexandre Rocha
Curso de Treinamento Personalizado.

Prof. Dilmar P. Guedes
Curso de Idoso Ativo

Prof.Fabio Saba
Curso Idoso Ativo

Grande amigo: Prof. André Nessi (massoterapeuta)

Prof. Carol Macário
Workshop de Treinamento Funcional

Prof. Luciano D'Elia
Workshop de Treinamento Funcional


Dra.Tânia Rodrigues
Curso Idoso Ativo


Atleta Bodybuilder BATATA
Nos estandes da feira

Prof.Tiago Magalhães
Workshop de Treinamento Funcional

Prof.Mônica Tagliari
Workshop de Treinamento Funcional

Estandes da feira



Estandes da feira


Estandes da feira


Estandes da feira


Estandes da feira

Estandes da feira


Curso de Treinamento funcional


Curso de Treinamento Personalizado


Curso Idoso Ativo


Curso Treinamento Funcional


Curso Idoso Ativo